ESCOLA PAULISTA DE CIÊNCIAS MÉDICAS
(11) 5904 7334 / academico@epcm.org.br

Fibrose Cística é uma doença genética, crônica, que afeta principalmente os pulmões, pâncreas e o sistema digestivo. Atinge cerca de 70 mil pessoas em todo mundo, e é a doença genética grave mais comum da infância.

Um gene defeituoso e a proteína produzida por ele fazem com que o corpo produza muco de 30 a 60 vezes mais espesso que o usual.

O muco espesso leva ao acúmulo de bactéria e germes nas vias respiratórias, podendo causar inchaço, inflamações e infecções como pneumonia e bronquite, trazendo danos aos pulmões.

Sintomas

Os sintomas da fibrose cística e a gravidade destes são diferentes para cada pessoa.Pesquisas recentes mostram que parte dos sintomas estão baseados no tipo de defeito genético ou mutação que o gene tem. Há mais de mil tipos diferentes de mutação para esse gene. Os sintomas mais comuns são:

  • pele de sabor muito salgada
  • tosse persistente, muitas vezes com catarro
  • infecções pulmonares frequentes, como pneumonia e bronquite
  • chiados no peito, ou falta de fôlego
  • baixo crescimento ou ganho de peso, apesar de bom apetite
  • fezes volumosas e gordurosas, e dificuldade no movimento intestinal (poucas idas ao banheiro)
  • surgimento de pólipos nasais.

Antigamente, crianças afetadas pela fibrose cística mal chegavam à idade de completar a escola primária. Entretanto, atualmente, o diagnóstico precoce e o tratamento correto aumentam a expectativa e a qualidade de vida de crianças e adultos acometidos pela doença.

Fonte:  Associação Brasileira de Assistência a Mucoviscidose

Mais informações: www.abram.org.br